» Série: A moda e suas carreiras!


13 jul2012

Série: A moda e suas carreiras!

Hey dolls!

Conforme vocês viram nas últimas semanas, tenho tentado falar um pouco sobre todas as possibilidades de trabalho dentro do segmento de moda. Esta semana vou falar sobre a carreira de estilista, que muito possivelmente é a mais comum dentro deste universo. Na realidade acredito que a maioria das pessoas que decidem fazer faculdade de moda já entram no curso pensando em seguir essa carreira, o que não significa que até o final do curso isso não mude. Conforme falei no primeiro post, eu (desde que entrei para a faculdade), já pensava em seguir a carreira de compradora de moda, mas acredito que eu seja um caso a parte, já que antes de entrar na faculdade, fiz alguns cursos de moda em áreas diferentes, para que pudesse conhecer um pouco mais deste universo e com isso pudesse direcionar a minha graduação.

Aliás, esta é uma boa dica para quem pensa em fazer faculdade de moda, mas não está seguro de qual área gostaria de trabalhar. Hoje em dia existem muitos cursos de curta duração, que podem auxiliá-los na escolha da área a ser seguido dentro da moda. Algumas faculdades dão mais ênfase em determinadas carreiras e se desde o começo você já souber mais ou menos o que gostaria de fazer depois que se formar, fica mais fácil optar pela faculdade. Claro que ao longo do curso, você pode acabar mudando de idéia, mas se você estiver seguro da sua decisão, esta é uma boa forma para começar. Escolher a faculdade que possua um curso com ênfase na área que você pensa em seguir, já é um passo muito bem dado para que futuramente você possa ingressar no mercado de trabalho. Quando você escolhe uma faculdade que oferece um curso de moda que a ênfase não seja a carreira que você deseja seguir, certamente terá que fazer cursos complementares, que o auxiliarão no melhor entendimento dos procedimentos deste segmento escolhido por você. Isso aconteceu comigo. Eu optei por fazer a minha graduação em uma faculdade onde o foco era o desenvolvimento de produto e com isso tive poucas matérias relacionadas à área de Compras. Depois de saí da faculdade, fiz uma pós graduação com ênfase na área que queria seguir, no caso a área de Compras.

Agora deixando esse blá blá blá de lado, vamos à carreira desta semana. De um modo geral, acredito que a maioria das pessoas saibam quais são as atividades e responsabilidades de um estilista, porém, não poderia deixar esta carreira de fora desta série, não é mesmo?

Para começar, um estilista precisa saber exatamente para qual é o público que ele está desenvolvendo as peças. Muitas pessoas possuem dificuldade em criar roupas ou acessórios, que possuam um estilo diferente do seu e acreditem, isto não faz um bom estilista. Um bom estilista é capaz de desenvolver para qualquer público e em qualquer segmento. É claro que quando você se identifica com a marca que trabalha tudo fica mais fácil, porém, nem sempre é possível conseguir esse “casamento perfeito”. Sendo assim, antes de qualquer coisa, conheça o público para o qual você criará as peças.

Nas empresas maiores, com segmentos bem definidos, cada estilista cuida de uma área ou de uma sub-marca. Por exemplo, em empresas grandes, que vendem diversos tipos de produto, você pode trabalhar no segmento de malha, jeans, tops (partes de cima) e por aí vai. Já em uma empresa no estilo magazine, você pode ser direcionado para alguma sub-marca e com isso terá que desenvolver praticamente todas as peças desta marca. Se vocês observarem, todas essas grandes lojas de departamento possuem estas tais sub-marcas, que nada mais são do que os segmentos direcionados por tipo de público. Uma espécie de divisão de produto, onde cada pessoa poderá encontrar o seu estilo, que ficam separados por estas sub-marcas.

Um estilista começa a trabalhar muito antes da coleção ser lançada. São feitas diversas pesquisas de tendências (tipos de roupas, temas, cores, tecidos, entre outras coisas) e a partir daí, o estilista começa a delinear a coleção que será lançada pela marca que ele trabalha, levando em consideração o público para o qual ele desenvolve as roupas. Com o tema definido, ele passa para outra etapa, que é o desenvolvimento da cartela de cores, cartela de estampas e por fim o desenvolvimento dos modelos. O ideal dos mundos é que um estilista conseguisse desenvolver toda a coleção antes dela ser lançada, mas como isso é praticamente impossível, o estilista em parceria com o comprador, começa a definir quais serão as “entradas” das peças. Elas podem ser divididas em semanas ou meses e com isso o estilista sabe mais ou menos quantas peças ele precisará desenvolver em cada semana ou mês.

Com as peças desenvolvidas (desenhadas), ele passa para a escolha dos tecidos e em quais cores e estampas serão feitas aquelas peças. Com tudo isso em mãos, outra etapa aparece, que é a do desenvolvimento da peça mesmo. Ou seja, os desenhos são enviados (para a fábrica da marca ou para fornecedores terceirizados) para que seja iniciado o processo de desenvolvimento da modelagem e posteriormente a montagem da peça piloto. A peça piloto é a primeira peça daquele modelo desenvolvida. Ela é a referência para o estilista, para o comprador e para a equipe que faz o recebimento da produção. Depois que ela é aprovada, ela serve como molde e qualquer coisa que venha diferente daquilo que foi aprovado pela estilista ou pela compradora, pode gerar um grande confusão.

Basicamente estas são as atividades de um estilista. Em algumas marcas eles podem até acumular outras funções, porém, no geral é isso que um estilista faz.

Fora tudo isso que já falei acima, é importante que um estilista saiba mexer em programas como Corel Draw, Photoshop ou outros editores de imagem, para que ele possa fazer desenhos ou colorações e com isso pule algumas etapas do processo.

Muitas pessoas acham que um estilista precisa saber desenhar divinamente, por conta dos croquis (que são aqueles desenhos de moda mais caprichados), porém, acreditem, no dia a dia de uma empresa o croqui não existe. É claro que para você ser estilista, você precisa saber desenhar, no papel ou no computador, se não você jamais conseguirá passar suas idéias para frente, porém, no cotidiano de uma empresa, o desenho técnico é muito mais importante. O desenho técnico é um desenho mais chapado, onde você colocará todos os detalhes daquele produto. Geralmente isto é feito em uma ficha técnica, onde você colocará qual será o tecido usado, quais serão os aviamentos e etc. Esta será a ficha que será enviada para o setor de desenvolvimento e através dela será feita a modelagem e a peça piloto. Ou seja, a ficha precisa ser o mais detalhada e completa possível para que os retrabalhos sejam poupados ao máximo. Tempo é dinheiro minha gente!

Outra característica importante para um estilista é entender de modelagem e costura. Dessa forma ele pode falar exatamente como será feita aquela peça e quando a piloto chegar, ele saberá ao certo o que precisa ser modificado no produto, para que ele fique da forma como ele idealizou. Sendo assim, se você tiver a oportunidade de fazer um curso de modelagem ou de corte e costura, você já estará um passo a frente. É claro que ao longo do trabalho e da prática a gente vai pegando alguns macetes, porém, começar já sabendo um pouco é sempre bom né?

E lembrem-se sempre que o estilista deve ser parceiro do comprador, para que ambos possam ajudar a empresa a construir uma trajetória de sucesso. De nada adianta um estilista desenvolver uma coleção incrível e um comprador errar nas quantidades, nos preços e nas margens, porque mesmo que a coleção esteja divina, o resultado não será tão bom quanto seria se a dupla estivesse trabalhando junta por um resultado único. E isso serve para o outro lado também, porque de nada adianta um comprador batalhar para conseguir preços ótimos, com maravilhosas margens e o estilista desenvolver uma coleção que não combine com o público daquela marca. Sendo assim, tenha sempre em mente que o estilista e o comprador precisam ser parceiros.

Espero que este post tenha esclarecido um pouco das dúvidas de vocês sobre esta carreira! Na semana que vem vou falar de mais uma carreira que faz parte do mundo da moda aqui no SQEP?!. Caso vocês tenham vontade de saber um pouco mais sobre alguma carreira específica, mandem um e-mail para mim que eu coloco aqui no blog, ok?

Bom final de semana para vocês!

Será que esse pode?

2 comentários para “Série: A moda e suas carreiras!”


Anonymous

Olá Tahirih!
Ótimo post!
Dicas excelentes p quem estuda moda e muitos esclarecimentos p quem se interessa por moda.
Parabéns!!!
Denize


Tahirih Vannucci Untar

Oi Denize!
Obrigada pela visita e pelo comentário! Fico feliz que tenha gostado do post.
Volte sempre.
Beijo grande,
Tahirih


Deixe um comentário